Minhas Impressões Usando o Google App Engine

O App Engine do Google é muito fácil de usar. Seguindo apenas parte da documentação, no Getting Started da introdução, é possível criar uma aplicação com persistência de dados, formulários e templates, tudo muito parecido quando não igual ao fornecido pelo Django.

Eu criei duas aplicações em minha conta. Uma para o grupo local de usuários da linguagem Python do Rio de Janeiro, o PythOnRio (http://pythonrio.appspot.com/). Ela ainda é apenas um teste, aplicação direta do tutorial. Apenas mostra um Hello para o quem entra nela, mas faz uso da autenticação pela base de usuários do Gmail.

A outra aplicação ainda não está no ar. Tem por objetivo ser um caso prático para auxiliar o estudo de aprendizagem de máquina que estou fazendo, inicialmente baseado no livro Programming Collective Intelligence de Toby Segaran, mas com a intenção de não ficar restrito a ele. Nesse livro o leitor é estimulado a buscar casos onde a análise estatística possa ser aplicada. MInha idéia foi fazer uma análise política: na aplicação, você escolhe o nome de um congressista americano e a partir dos dados disponíveis na internet o programa indica os 10 congressistas com padrão de votação mais assemelhado e os 10 mais desassemelhados, de acordo com a correlação de Pearson. Uma ambição mais ousada do programa também é motivar no futuro a criação de uma versão nacional, se algum dia os dados estiverem disponíveis em algum formato utilizável. Lá o resultado das votações (quem votou o quê) é públicado em formato XML em uma hora após a sessão!

Como estou ainda me familiarizando a usar o App Engine, a intenção era realmente tentar colocar uma aplicação um pouco mais complexa no ar (mesmo que ainda não 100% ajustada) para experimentar a nova tecnologia. Os testes locais foram muito tranquilos, mas tive alguns problemas na hora de colocar a aplicação no ar. Primeiro, ele reclamou do tamanho de um arquivo de dados que minha aplicação usava. Para contornar o problema, tive que quebrar o arquivo em vários. Tudo testado direito, outro problema – ele reclamou de caracteres inválidos utilizados nos nomes dos arquivos. Mais uma alteração e finalmente consegui fazer o deploy da aplicação (i.e., colocar servidor para funcionar). Mas ainda não foi dessa vez. Apesar de funcionar no servidor local, ela é constantemente bloqueada por demandar CPU demais. Não que isso seja um problema, vou refazer o programa para produzir os dados localmente e armazenar em memória, permitindo a aplicação a rodar na internet.

Para muito poucas horas dedicadas, foi um aprenzidado muito legal. Desenvolver uma aplicação para O App Engine foi muito fácil e ele é todo bem razoável. Uma critítica que acho que posso fazer é que ele poderia ter soltado uns warnings no servidor local avisando dos problemas que eu iria encontrar ao tentar colocar no ar, mas isso não chegou a ser um problema tão grave.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s